Search
  • Marisa Mendes

Relacionamento em crise: análise de Valores

Ao longo da minha carreira de coach, verifiquei que existem situações de crise que são transversais na generalidade dos casos:

desconexão gradual do casal

ausência de foco e proactividade para alimentar o relacionamento

assumir a relação e a outra pessoa como “dado adquirido”

acomodação à rotina

prioridade aos filhos/família/trabalho

ritmos e objectivos de vida distintos

acumulação de emoções negativas por acontecimentos passados

comunicação insuficiente ou ineficaz

infidelidade



Um dos factores que está na origem destas situações são os Valores. Os Valores são o gatilho para os nossos comportamentos e decisões e o que conecta e desconecta duas pessoas.

Quando duas estão pessoas estão genuinamente conectadas, os seus valores individuais estão a ser mutuamente supridos e alimentados. Quando duas pessoas estão desconectados, certamente em pelo menos um deles os seus valores pessoais de relacionamento estão a ser supridos de forma insuficiente, o que leva a uma desmotivação e afastamento.


Para perceberes como a alteração de Valores altera a dinâmica de um relacionamento e pode mesmo levar à sua ruptura, vou recorrer a um caso prático como exemplo para fazermos esta análise.

Imagina um relacionamento em que ambos, A e B têm, a seguinte escala de hierarquia de importância de Valores:

A: 1º Fidelidade; 2º Atenção, 3º Compreensão

B: 1º Fidelidade; 2º Atenção; 3º Compreensão

Ou seja, para ambos, a Fidelidade é crucial, mais do que qualquer outro valor, o que se traduz na ruptura quase certa se este valor for colocado em causa. Se faltarem a Atenção e Compreensão, enquanto a Fidelidade existir, o relacionamento tende a continuar. Então na prática é esta a leitura que é feita a uma escala de valores.


Imagina agora que, relativamente ao A adoeceu um familiar que requer cuidados diários (Valor Família), ou um filho nasceu (Valor Família ou Filhos), ou no trabalho está perante uma fase delicada que requer foco total (Valor Carreira ou Trabalho).

Vamos pegar no exemplo do trabalho. Então temos:

A: 1º Trabalho; 2º Fidelidade; 3º Atenção; 4º Compreensão

B: 1º Fidelidade; 2º Atenção; 3º Compreensão


Neste período, o valor Trabalho passou para primeiro lugar na escala: existe claramente uma intenção positiva nessa prioridade: dar resposta ao problema no trabalho, ser reconhecido e/ou manter o emprego. Como verificas, os valores vão mudando de posição nessa escala hierárquica ao longo da vida, à medida que vamos passando por novos acontecimentos. Aqui, o B começa a sentir que o seu valor Atenção deixou de ser suprido. Numa primeira fase, continua a dar a atenção ao A que, por estar preocupado com o trabalho deixa de valorizar e retribuir essa atenção do B. Numa segunda fase, o B começa a manifestar a falta de Atenção e o A continua focado no Trabalho. Como têm o Valor Compreensão alinhado, conversam, e compreendem-se mutuamente e que é uma fase. E a vida continua, dias e semanas vão passando. Contudo, à medida que o tempo passa sem que um valor seja suprido, ele tende a ganhar importância e a subir de posição na escala.


Nesta fase, as cobranças acentuam-se, as discussões e começam a surgir tal como emoções negativas de parte a parte. B está desesperado por Atenção de A (valor sobe para a 1ª posição) e A por Compreensão de B (também o valor Compreensão sobe de posição na escala):

A: 1º Trabalho; 2º Compreensão; 3º Fidelidade; 4º Atenção

B: 1º Atenção; 2º Fidelidade; 3º Compreensão

B conhece um colega novo, que lhe dá Atenção; A conhece um colega novo que o Compreende. Em busca de suprirem as suas necessidades individuais, cedem a este estímulo externo através da infidelidade, até porque entretanto, os valores Fidelidade de cada um desceram nas suas posições.


Imagina em vez da fidelidade ter descido para ambos, temos:

A: 1º Trabalho; 2º Compreensão; 3º Atenção; 4º Fidelidade

B: 1ºConfiança; 2º Fidelidade; 3º Atenção, 4º Compreensão

A conhece um colega novo que o Compreende e em busca de suprir o seu valor Compreensão, cede a este estímulo externo e é infiel a B. Por sua vez, B conhece alguém que lhe preenche o valor Atenção, mas como a Fidelidade e a Confiança são valores primordiais, afasta-se desse estímulo externo e foca-se no relacionamento em busca de uma solução. Descobre que A lhe foi infiel, por isso os seus valores primordiais são fortemente abalados. Dificilmente aceitará este comportamento no seu parceiro/a e poderá optar por terminar este relacionamento.


Para além dos valores, existem outros elementos a considerar quando um relacionamento está em crise. Neste artigo, o intuito é compreenderes como os valores influenciam os nossos comportamentos e decisões, independentemente de considerares correctos ou incorrectos. Aliás, a tua própria definição do que é correcto ou incorrecto tem por detrás os Teus Valores pessoais. E podemos compreender, sem que com isso tenhamos que aceitar para a nossa vida, ou seja, podemos rejeitar determinado comportamento na nossa vida, compreendendo a sua causa. Por isso, o meu intuito é passar-te esta visão de análise de comportamentos, livre de critica e julgamento, pela análise dos Valores.

0 views
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

2020 ©  Copyrights Be Brave - Programa de Coaching & PNL

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now