Search
  • Marisa Mendes

Paixão VS Amor

Estás num relacionamento há mais de 2 anos e ao olhar para trás pensas: "era tão diferente ao início, aquela paixão... porque é que agora é assim... esta rotina... se calhar estamos a deixar de gostar um do outro...?!" Descobre as diferenças entre um cérebro Apaixonado e um cérebro em Amor Companheiro!

PAIXÃO > Duração temporária entre 12 a 24 meses;

> Aumento de Dopamina: neurotransmissor que desenvolve a hipermotivação, energia esgotáveis, euforia e desejo, através do sistema de recompensa, intervém na percepção subjetiva do prazer e estimula a dependência psicológica (quer estar com aquela pessoa mais e mais);

> Aumento da Vasopressina: estimula o aumento da impulsividade, circulação sanguínea e ritmo cardíaco, alteração no sistema digestivo (menos fome), no sono e contribui para a cognição e comportamentos sociais de demência e obsessão (pensamentos constantes e involuntários);

> Aumento da Ocitocina: aumenta as atitudes positivas, empatia, apego, conexão (aquela pessoa é única e insubstituível); inibe o medo, logo facilita estados de auto confiança; intensifica o prazer sexual;

> Aumento do Cortisol: stress, adrenalina, ansiedade e insegurança;

> Inibição do cortex pré frontal (à semelhança dos efeitos do álcool): incapacidade de prever consequências, gerir impulsos e desejos;

> O funcionamento do cérebro está alterado temporariamente, e como as hormonas e neurotransmissores trabalham por si, há um sentido de valorização automática do parceiro/a. AMOR COMPANHEIRO

> Após a paixão, a relação pode entrar nesta fase;

> A Dopamina, Vasopressina e Cortisol, retornam aos níveis basais: relacionamento menos intenso, mais brando, suave e menos impulsivo;

> O Córtex pré-frontal retorna a sua funcionalidade: capacidade reflectiva, em clareza e menos emocional;

> A Ocitocina responsável pelo apego e conexão mantém-se em níveis elevados, fortalecendo o companheirismo, carinho, laços e interdependência (tendência para realizar a maioria das vivências em conjunto; no caso dos casais em 3ª idade quando um morre, há tendencia para o outro adoecer e morrer pouco depois derivado a esta interdependência);

> Nos relacionamentos longos e felizes, os casais têm melhor saúde cardiovascular e mental do que solteiros ou apaixonados e verifica-se um aumento da longevidade;

> Por outro lado, qualquer factor que abale a robustez do relacionamento, torna-se potencialmente doloroso e traumático;

> Com o fim da fase da Paixão, termina também a energia inesgotável, o estado de motivação e euforia constante; a valorização deixa de ser automática;

> Como em qualquer área da vida, o relacionamento necessita de Dedicação e Consistência diária e sustentável na valorização do parceiro - é necessário investir energia para construir diariamente a relação (à semelhança por exemplo, de quem pretende construir uma carreira sólida é a dedicação diária, ano após ano, que fará alcançar, tal como construir um estilo de vida saudável requer diariamente hábitos de exercício físico e alimentação saudável).


Por isso, se a Paixão terminou, então está tudo bem! Podes agora construir o teu Amor Companheiro com ações diárias e consistentes! Partilha este artigo com o teu/tua parceiro/a e surpreendam-se mutuamente!



Referências: de Boer, A., van Buel, E.M., & Ter Host, G.J. (2012). Love is more than just a kiss: a neurobiological perspective on love and affection. Neuroscience, 201, p. 114-24. (http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22...); NeuroVox Youtube.

62 views
  • Facebook
  • Instagram

2020 ©  Copyrights Be Brave - Programa de Coaching & PNL

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now